Postagens

Mostrando postagens de 2014

O Que Deus Promete, Ele Cumpre !!

Imagem
Textos Bíblicos: Números 23.19; Hebreus 10.23 Introdução: A palavra “promessa” no dicionário Aurélio significa: Ato ou efeito de prometer, oferta, dádiva, compromisso, voto ou juramento. A Bíblia está cheia de preciosas promessas feitas aos seus filhos. São mais de 30 mil registros. Deus sempre cumpre a suas promessas. Deus nunca se retrata ou altera a suas promessas. A Bíblia diz em Salmos 89.34 “Não violarei o meu pacto, nem alterarei o que saiu dos meus lábios.” Ele cumprirá cada promessa que fez. Isto significa que Ele efetuará tudo o que propôs. Quatro Razões Porque Deus Cumpre as Suas Promessas: 1- A Veracidade de Deus. “Deus não é homem para que minta…” (Nm 23.19a). Deus é perfeitamente fiel as suas promessas e aos seus mandamentos. (Sl 33.4). Sua integridade moral é sua característica pessoal permanente. (Sl 119.160). Tudo quanto Deus nos revelou é a mais absoluta verdade. Ele é absolutamente fidedigno e verdadeiro em tudo quanto diz e faz. Tudo quanto ele fez até agora, no que se re…

Ousadia Espiritual

Imagem
“Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio” (2Tm 1.7). Os dias não são iguais, porém, se o seu desânimo está sendo constante, ele é resultado da falta de exercício no poder e nos recursos de Deus, resumindo: você não tem exercitado a pratica da ousadia através da fé, que é manter-se corajosamente firme diante das responsabilidades, pressões e desafios da vida cristã. Desde o princípio, Deus sempre anima seus filhos dizendo: “Sê forte ecorajoso”, quer dizer: seja ousado. O próprio Senhor Jesus animou um paralítico, uma mulher com hemorragia, um cego e aos seus discípulos com a seguinte palavra: “Coragem”. Antes de ir embora Jesus fortaleceu o ânimo dos discípulos dizendo: “Neste mundo vocês terão aflições; mas tenham bom animo, eu venci o mundo” (Jo 16.33). É preciso ter ousadia para ser cristão, porque o verdadeiro cristão vive no sentido contrário ao mundo. Além do mais, a vida eterna não é dada aos covardes e aos medrosos. Se você tem a vida comp…

Jesus e a mulher Samaritana

Texto base: João 4.1-42 É interessante como toda história da mulher samaritana ela se converge em água, que é indispensável para a saúde e higiene pessoal de qualquer ser humano. A água é tão importante para nós que 75% da porção do nosso planeta é de água, o corpo humano contém ¾ de sua formação em água, de tal forma que a água nos é indispensável para a manutenção da vida, água é sinônimo de vida. O texto começa falando de água natural (h20) mas no seu ápice Jesus apresenta a (água da vida), Jesus vai até Samaria para levar aquele povo que tinha muito orgulho do poço de Jacó que tinha água natural para beber, mas estavam sedentos da água da vida. No verso 1  e 2 Jesus está na Judéia e anuncia o evangelho e desperta o ódio e a perseguição dos Fariseus pois pelo ministério de Jesus havia mais discípulos e batizados do que João. No verso 3- Jesus deixa a Judéia em sentido a Galiléia. No verso 4 – Jesus sente uma necessidade de passar por Samaria. Porque Jesus precisa passar por Samaria?  Se …

Entre o Aprisco e o Curral

Imagem
João 10.1-7
Encontramos figuras que são utilizadas metaforicamente para indicar a Igreja. Entre elas, a Igreja tem sido identificada como o aprisco onde as ovelhas se encontram, se aquecem e se protegem. No aprisco, considerando a perspectiva bíblico-teológica, as ovelhas conhecem o seu pastor. A figura do aprisco indica mais do que meramente um local onde as ovelhas se abrigam, indica a relação de confiança entre as ovelhas e o pastor. A palavra grega utilizada apresenta este sentido. “Parece ser um quintal na frente da casa, cercado por um muro de pedras que, provavelmente, tinha abrolhos em cima”.[1] Esta figura que indica algo simples e tão familiar ao povo da época é utilizada pelo evangelista João para ilustrar a relação de pastoreio de Jesus para com os discípulos (João 10.1-7). Assim, o autor bíblico descreve esta relação entre pastor e ovelhas. As ovelhas sabem que o pastor quer o bem delas e sempre que se dirige a elas é para seu bem. As ovelhas não temem o seu pastor, pelo con…

De volta ao aprisco

Hebreus 13.20 Introdução Esta é a quarta reflexão que faço em torno do tema aprisco e curral. No entanto, Hebreus 13.20 nos traz de volta ao aprisco. O autor se refere a Jesus como o grande pastor das ovelhas. Ele foi apresentado por João como o bom pastor, agora ele retorna no texto de Hebreus como o grande pastor. Ao fazer isto, o autor resgata e restaura a concepção que vem do Antigo Testamento acerca do pastor e que é instigante e paradigmática para o ministério pastoral hoje. Há uma clara referência a Moisés que, com seu cajado e sua autoridade de guia, conduziu o povo do meio da escravidão no Egito até a entrada na Terra Prometida. Em outras palavras, o autor de Hebreus está relacionando o pastoreio de Jesus a um novo êxodo, agora numa perspectiva de salvação escatológica.[i]
O grande pastor Além de indicar na figura do “grande pastor” o líder Moisés, logicamente que está implícita a imagem de pastor que é atribuída a Deus. Deus é o primeiro e maior pastor. O Salmo 78 narra a histór…

O aprisco e a manjedoura

Introdução Pastorear é se relacionar com as pessoas. O trabalho pastoral se constitui numa constante ação de afetividade. Sem ela o pastoreio se torna frio, distante e burocratizado. A afetividade aproxima as pessoas, aproxima o pastor e a pastora das pessoas e das famílias e produz uma convivência saudável. É num ambiente de afetividade que o ato de pastorear se plenifica, se integraliza e se concretiza em frutos na vida das pessoas. Neste sentido, observar a cena que se desenrola no interior do aprisco, onde há uma manjedoura e pessoas envolvidas na trama é, no mínimo, receber uma motivação para o pastoreio afetivo e efetivo. O pastoreio deve ser desenvolvido tendo o ministério de Jesus como modelo. Nesta reflexão vamos olhar o local onde Jesus nasceu e buscar no simbolismo do ocorrido a inspiração para um pastoreio no âmago do aprisco. O ministério, nesta perspectiva, tem algumas características que se ressaltam: 1. Simplicidade. O ministério deve ser exercido com simplicidade e na sim…

Ministério no aprisco versus ministério no curral

As parábolas de Lucas e de Ezequiel


Introdução

As figuras do aprisco e do curral desafiam nossa reflexão e nos convidam a considerarmos o que diferencia o ministério entre um e o outro. “Enquanto a figura do aprisco indica metaforicamente o encontro amoroso do pastor com suas ovelhas, o curral indica o local da ‘ração’ para o gado, ou seja, onde metaforicamente as pessoas ruminam o ‘sal’ ou a ‘ração’ que lhes são oferecidos sem, no entanto, vivenciaram os aspectos que compreendem o aprisco”.1

Para isto, faremos uma leitura de dois textos bíblicos que nos auxiliarão em nossa reflexão nesta linha de pensamento. O primeiro texto é o de Lucas 15.4-7, onde é contada a parábola da ovelha perdida. O segundo texto é o de Ezequiel 34.1-10, onde são apresentadas características negativas na vida dos líderes, o que nos leva a pensar no exercício de um ministério na perspectiva do curral.


1. A parábola da ovelha perdida – Lucas 15.4-7

Restauração

A parábola da ovelha perdida tem como seu tema central a …

Para estar no aprisco e não no curral

O ministério de acordo com I Pedro 5.1-4

Introdução Esta é a terceira reflexão que faço em torno do tema aprisco e curral. A primeira eu intitulei “Entre o aprisco e o curral”, onde descrevi brevemente as características de cada uma. A segunda reflexão eu intitulei de “Ministério no aprisco versus ministério no curral”, em cujo texto indiquei algumas diferenças entre os dois tipos de ministérios, levando-se em conta as parábolas de Lucas 15 e a de Ezequiel 34.
Nesta reflexão quero abordar os conselhos apostólicos de Pedro quando se dirigiu aos cristãos que se encontravam na dispersão no Ponto, Galacia, Capadócia, Ásia e Bitínia. O apóstolo chama-os de forasteiros, porque viviam em outras terras, mas assim o faziam como eleitos de Deus e santificados no Espírito Santo (I Pe 1.2).
Como os seguidores de Cristo viviam em um ambiente de hostilidade, o exercício do pastoreio junto ao povo era fundamental para preservação da fé e perseverança na vida cristã. Desta forma, o apóstolo se dirige aos…