segunda-feira, 6 de abril de 2015

A ORIGEM DO PRINCIPIO DE PARETO


O principio que afirma que 80% das consequências provêm de 20% das causas foi introduzido no ramo das ciências, em 1941 pelo consultor de negócios romênio, Joseph M. Juran, em homenagem ao sociólogo e economista Vilfredo Pareto filósofo italiano (1848-1923), que contribuiu para evolução da ciência econômica da idade moderna, ao introduzir o conceito de ótimo de Pareto e ajudou o desenvolvimento da microeconomia com a ideia de curva de indiferença.  Por sua vez, Juran  expandiu o princípio de Pareto para a esfera organizacional, afirmando que 80% dos problemas são causados por 20% das causas.
O QUE SIGNIFICA A LEI DO PARETO
Lei de Pareto, nascida dentro da economia, quando levada para o campo pessoal, adverte que 80% dos resultados que se alcança é consequência de apenas 20% dos esforços empregados. Em outras palavras, determinadas ações estratégicas podem oferecer um retorno muito maior do que muitas outras.
 O Princípio pode ser aplicado por estudantes que desejem ser bem sucedidos, principalmente no que diz respeito à gestão do tempo e da produtividade na trajetória para preparação para vestibulares ou concursos públicos.
Princípio dos 80/20 nos leva a entender que existe um desequilíbrio muito significativo entre ações realizadas e objetivos alcançados. Esse é o primeiro ensinamento que um estudante tem que ter em mente para se preparar bem para o desafio principal, é que a aprovação.
Uma realidade irrefutável é que, no cenário dos vestibulares e concursos, menos de 20% nos candidatos consegue êxito nos resultados das provas.
Sem desconsiderar os demais fatores importantes que interferem em tal resultado, podemos dizer que quase a totalidade desses candidatos tem um bom nível de conhecimentos em geral, mas que somente um pequeno percentual desse universo consegue alcançar o preparo necessário para conquistar sua vaga, ou seja, alcança o nível de eficácia nos estudos adequado para o desafio, a aprovação. De modo geral, muitos estudantes (80%) não se preparam como deveriam.
O QUE É MAIS IMPORTANTE?
A questão então não é quanto se preparam, mas como se preparam.
Portanto, essa pode ser a hora certa para você se perguntar: o que preciso mudar na forma de estudar e alcançar seus objetivos? Agora que você conhece algo sobre a Lei dos 80/20, deve aprender aplicá-la para administrar seu tempo, gerenciar sua produtividade (aprendizagem) e sua eficácia nos estudos. O segredo é aprender a priorizar as ações/estudo (20%) que proporcionem maiores resultados (80%).
Especificamente para os casos daqueles que irão enfrentar provas em breve e que se sentem pressionados pelo tempo e a ansiedade, recomendamos priorizar as seguintes ações e atitudes:
Conheça a universidade que você deseja estudar - Há candidatos, que num excesso de dedicação aos livros e às apostilas, sempre correndo contra o tempo, desprezam completamente uma interessante estratégia de auto-motivação: conhecer o lugar para o qual sonha conquistar um lugarzinho!
É muito importante visitar, circular um pouco pelo campus e senti-lo, ainda que seja somente uma mirada de perto. Se você puder, visite o campus, nem que seja no dia de fazer a inscrição (tente não delegar a outra pessoa essa experiência que é só sua!). Nesse dia, da inscrição, pode ser o seu primeiro dia no campus. Se for possível, visite também o site da instituição e leia tudo que puder, estude as fotos.
Sempre que se sentar para estudar, dedique uns segundos para relembrar seu passeio pelo campus no qual você estudará em um breve futuro.
Conheça o edital e o manual  Por mais surpreendente que pareça, há candidatos que recebem o manual do vestibular, passam uma vista  superficial e o deixam completamente de lado, seguindo seus estudos seguindo a escola ou curso preparatório que estão frequentando.
Saiba que é muito importante ter conhecimento de todo o edital e o manual do candidato antes de iniciar os estudos. Afinal, neles estão previsto todas as matérias que serão cobradas na prova, com sugestão de livros e de autores em alguns casos, além de regras, orientações e prazos a serem cumpridos.
Administre seu tempo –Estabeleça seu método de estudos. Faça um calendário de estudo, com dias, horários e matérias a serem estudados.  Determine o intervalo de tempo que vai estudar (já sabemos que não se trata de quantidade de horas, mas de qualidade e concentração de aprendizagem). Cumpra fielmente o calendário. Tenha disciplina.
Estude por livros que não sejam muito prolixos e complicados, que apresentem o conteúdo de modo fácil e prático. Não despreze um importante recurso que a metodologia científica pode dar a você: faça uma ficha de cada assunto estudado. Além de ajudar a apreender mais o tema, você terá um arquivo sucinto e útil para os momentos futuros de revisão, porque as anotações em tópicos das fichas ajudarão seu cérebro a relembrar os conteúdos.
Você pode também lançar mão do método dos mapas mentais para estudar objetivamente cada assunto. Da mesma forma, eles serão excelentes para apreender e para revisar conteúdos.
Atribua prioridades – Observe analiticamente seu estilo de estudo (e mesmo de outras atividades que desenvolva) para identificar aquilo que dá melhores resultados para você e aquilo que não.  Tente, portanto, identificar os 20 por cento mais relevantes de suas ações, dando prioridade a essas tarefas. Tente mudar ou abandonar aquelas ações e atitudes que vêm trazendo resultados ínfimos, pois não lhe serve.
Um exemplo bem prático é o caso das redações e dissertações universitárias. Se seu estilo vem sendo passar horas “mentalizando” e trabalhando em um único documento, você corre o risco de ser vencido pelo tempo e pela ansiedade de não decidir qual será a primeira palavra ou ideia a ser colocada no papel.
Experimente dedicar 10 minutos para criar quatro ou cinco rascunhos sobre o assunto. Em vez de ler um ou dois artigos cuidadosamente, passe os olhos em pelo menos sete diferentes abordagens para obter mais informações ou inspiração e poder desenvolver o seu ensaio com maior rapidez e qualidade.
Observe que a lei 80/20 é um recurso muito poderoso para ajudar a você a identificar esforço e energia desperdiçados para conseguir um objetivo. Em outras palavras, ela ajuda a você ter uma visão crítica de onde está empregando sua energia e concentração e para onde deve direciona-la para alcançar e superar os 80%. Por exemplo, 80% do que você costuma ver na TV não serve para nada na sua vida – selecione os 20% que são úteis. Igualmente acontece com jornais, revistas e redes sociais.  Faça o mesmo: foco nos 20% essenciais.
DICA ÚTIL: Saiba administrar seu tempo, deixando de lado os 80% triviais para aproveitar melhor os 20% fundamentais. Selecione melhor suas amizades, faça grupo de estudos identificados e motivados, observe e conviva com pessoas de sucesso.
Para ajudar a você nesse novo direcionamento de suas potencialidades, vale a pena lembrar uma frase de Thomas Edison, o homem da lâmpada: “Qualquer um pode alcançar o êxito se dirigir os pensamentos numa direção e insistir neles até que faça alguma coisa“.
O que você achou do princípio do Pareto 80/20? Você acha que é possível aplicá-lo na sua vida? E em qual área da sua vida, você mais precisa dele?