quinta-feira, 30 de julho de 2009

Tu tens palavras de vida eterna



Jo 6. 64-69 - Mas há alguns de vós que não crêem. Pois Jesus sabia, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E continuou: Por isso vos disse que ninguém pode vir a mim, se pelo Pai lhe não for concedido. Por causa disso muitos dos seus discípulos voltaram para trás e não andaram mais com ele. Perguntou então Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós já temos crido e bem sabemos que tu és o Santo de Deus.

REFLEXÕES - Logo após Jesus ter efetuado o milagre em que alimentara uma multidão de quase dez mil pessoas com cinco pães e dois peixes, muitos dos que se fartaram com o alimento miraculoso procuraram segui-lo, com a intenção de continuarem a receber daquele pão gratuito. Tinham em mente, para obter tal propósito, fazer a Jesus seu rei. Ele, sabendo das suas intenções, ofereceu-lhes outro pão e outra carne. Não o pão de trigo e a carne de peixe, mas Ele próprio, o pão da vida. Disse mais: "Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida eterna". Muitos acharam duro o discurso e já não seguiam a Jesus.
Foi após esses acontecimentos que o Mestre inquiriu seus discípulos sobre a sua disposição de continuarem a segui-lo. Pedro, que protagonizou diversas situações em que mereceu a repreensão do Senhor, desta vez falou pelo grupo expressando o que estava em seus corações: "Para onde iremos nós, tu tens as palavras da vida eterna". Esta afirmação deve resumir nossa posição de cristãos. Ou seja, a nossa motivação para seguir a Jesus não pode ser outra que não as palavras de vida eterna que ele veio nos trazer. Claro que cada um de nós tem problemas e temos plena liberdade e o direito de requerer de Deus a solução dos mesmos quando falham os meios humanos para a sua solução. O Senhor deixou aberto o caminho para que cheguemos, por seu intermédio ao Pai e obtenhamos a solução para nossos males humanos. Esta, entretanto não pode ser nossas motivação maior.
Em dias de tantas necessidades, em que a falência do Estado põe tantas pessoas na vala comum de uma condição subumana de viver, é comum aparecerem aqueles que oferecem o paraíso já aqui na terra em troca do seguimento a um Jesus milagreiro. Talvez você me questione: mas Jesus passou a vida fazendo milagres! É certo, mas ele também afirmou: "Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." Mateus 6.33. Por mais que alguns tentem colocar na boca do Mestre afirmações que ele não fez, a verdade do Reino de Deus e uma só: ele não é deste mundo. Bem afirmou Pedro: "Tu tens as palavras da vida eterna". É por ai que deve se dar nossa caminhada junto ao Senhor Jesus. Se somos crentes fiéis e dedicados a promessa está sobre nós: as necessidades materiais nos serão supridas.
Deus está buscando verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e verdade. Será que o simples seguimento ao Deus Provedor consiste em verdadeira adoração? Pense bem e, com toda a sinceridade responda a si mesmo. É reduzir a uma condição insignificante o sacrifício de Jesus, pensar que ele deixou seu trono de glória, veio à terra e morreu, apenas para que tenhamos uma boa vida neste mundo.

O Senhor te abençoe e te guarde, o Senhor volte para ti o seu rosto e tenha misericórdia de ti, o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.

7 Fundamentos para se ter um Casamento feliz e bem Sucedido.



Texto Base: Gn 2:18-24

“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só: far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea. Havendo pois o senhor Deus formado da terra todos os animais do campo, e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem deste a todos os seres viventes, esse seria o nome deles. Deu nome o homem a todos os animais domésticos, as aves dos céus, e a todos os animais selváticos; para o homem tadavia não se achava uma auxiliadora que lhe se já idônea. Então o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu: Tomou uma das suas costelas, e fechou o lugar com carne. E a costela que o Senhor Deus tomara ao homem transformo-a numa mulher e lhe trouxe. E disse o homem: esta afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne, chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada. Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro o homem e a mulher estavam nus e não se envergonhavam.”
Afirmação: O casamento é uma instituição que foi Criada e elaborada por Deus.

7 fundamentos para se ter um casamento feliz e bem sucedido:

Co-igualdade: A mulher foi feita de uma costela tirada ao lado de Adão; não de sua cabeça para governar sobre ele, nem de seu pé para ser pisada por ele; mas de seu lado, para ser igual a ele, debaixo de seu braço para ser protegida, e perto de seu coração para ser amada.

Fidelidade – O Mundo não acredita mais na fidelidade. Todavia, um casamento alicerçado neste princípio tem muito mais possibilidades de subsistir diante das pressões do dia a dia. A fidelidade é uma atitude “sine Qua non”pra que se tenha um casamento feliz e bem sucedido.

Verdade – A verdade deve sempre prevalecer independente do conflito em questão. Aonde existe verdade existe confiança, e aonde existe confiança não existe possibilidade de incoerências e “achismos”.
“A Verdade é sempre forte, não importa quão fraca pareça, e a falsidade é sempre fraca, não importa o quão forte pareça.”( Phillips Brooks)

Amor: - I Co 13- 4-7. “ O amor é paciente, é benigno, o amor não arde em ciúmes , não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Aliança – O que faz o casamento uma instituição duradoura, não são os bens que possuímos, as boas relações que desenvolvemos, ou o amor que temos um pelo outro. O que sustenta o matrimônio é a aliança que fazemos um com outro diante de Deus, familiares e amigos.

Compreensão e determinação: Existem 02 fatores que comumente agem de forma implacável e persistente sobre o casamento nos dias de hoje:
A incompreensão entre os cônjuges. Duas pessoas que se amam tem que desenvolver a habilidade de compreender uma à outra. Isto é, desenvolver uma atitude compreensiva e madura para com as fraquezas de seu cônjuge, não intencionando mudá-lo(a) com críticas ou insinuações maldosas. O casamento é um ajustamento Contínuo.
Falta de determinação de se permanecer casado. O casamento se mantém não pelo amor somente, mais sobretudo pela aliança feita pelo casal diante Deus.
Ter Jesus como âncora e socorro. Com certeza os conflitos virão, e ainda que nós desenvolvamos todos os princípios citados, sem Jesus, estamos fadados ao fracasso.